Artigos Aura-Soma Brasil
EQUILIBRIUM B109 Arcanjo Zachariel E-mail

EQUILIBRIUM B109 Arcanjo Zachariel
nascido em 26 de Julho de 2011 às 12h.

Frasco 109

Arcanjo Zachariel traz um novo sentido de esperança e otimismo que estimula a criatividade. Onde tem havido um falta de confiança, há um renascer de uma nova confiança.

O seu nascimento está relacionado com a presença do Rei Artur, regulando o aspecto solar dentro de nós, trabalhando em sintoma Kuthumi, que foi a inspiração de Pitágoras. Equilibrando as polaridades uma unificação acontecerá.
A Paz escondida AZUL/AZUL (Equilibrium B2), confirma Zachariel como o Arcanjo da Paz, relacionando Tzadkiel (Equilibrium B99). Refazendo o sentimento de dignidade onde esta foi perdida.

O Egito é conhecido como Amun. Fornece-nos um profundo nível de proteção e harmonia e dá-nos uma nova visão. Uma vista para os tempos que virão.

O Arcanjo Zachariel suporta a simetria e a harmonia, tanto em geometria como nos pensamentos e desenvolvimentos. Resgata os sentimentos de harmonia e equilibrio clarificando os nossos pensamentos onde antes havia confusão. Temos assim uma possibilidade de reequilibrar  todas as funções cerebrais – um sentir de reordenar  e reequilibrar.

Há também uma sintonia com Júpiter e Zeus, criando expansão criatividade e reunificação, estimulando o ponto de vista helio-centrico.
Isso dá-nos a possibilidade de honrar o momento presente como um acesso para o eterno – “estar no aqui e agora” , com um sentimento de otimismo baseado na nossa intuição – o nosso mestre interior. 


Com Amor & Luz
Mike Booth

 
A Lenda das cores do Arco-Íris E-mail

A Lenda das cores do Arco-Íris

Arco-Íris

Um dia todas as cores do mundo começaram a brigar, querendo uma ser mais bonita do que a outra. Elas discutiam aos gritos, se descabelando, se dizendo ser mais importante e preferida de todas. De repente, um raio com uma luz intensa aparece no Céu, acompanhado por relâmpagos. A chuva começa a cair em cas...cata, sem querer parar. Assustadas, todas as cores se ajuntaram e pertinho uma das outras, procurando se proteger. A Chuva toma então a palavra: "Tolas criaturas! Que vergonha! Brigando entre si, cada uma querendo dominar a outra! Não sabem vocês que foi o Grande Espírito quem as criou, cada qual com uma finalidade única e diferente? Ele ama cada uma de vocês e precisa de todas. Dêem-se as mãos e venham ate mim. Ele ira uní-las e estendê-las lado a lado, num magnífico ARCO-IRIS para mostrar a vocês que ama a todas, e que juntas podem viver em Paz

 
Uma história das cores E-mail

Uma história sobre as cores para voltarmos a ser crianças...

Uma história das cores

Era uma vez uma família de Azuis. O filho Azul vivia contente com a sua mãe Azul e com o seu pai, claro está, também ele Azul.
Na cidade, todos os seus vizinhos eram igualmente azuis e todos se sentiam muito orgulhosos com a sua bela cor, que era também a cor do céu e do mar. E os Azuis sentiam-se orgulhosos, achando-se belos e perfeitos, os vaidosos.
Mas, um dia, aquilo que os Azuis achavam impossível aconteceu. Chegou à cidade uma estranha, muito estranha, uma estranhíssima família de Amarelos! O pai, a mãe, o filho e até mesmo a bem velhinha e curvada avó eram todos Amarelos, tão amarelos quanto o amarelo pode ser.
Seria possível que tal cor existisse?
Os Amarelos instalaram-se na casa que ficava mesmo ao lado da casa dos Azuis, e, curiosos, apressaram-se a espreitar e a observar pela janela tão estranhos seres.
Menos preocupado, o filho Azul, como qualquer criança, apenas queria saber se o filho Amarelo gostaria de jogar à bola. Sem perder tempo, bateu à porta dos seus novos vizinhos e perguntou ao filho Amarelo:
— Queres vir brincar comigo?
E o filho Amarelo lá foi, sem pensar duas vezes, indiferente à cor da bola que, apesar de ser azul, rolava e saltava tão bem como as melhores bolas amarelas a que estava acostumado.
No entusiasmo do jogo e no frenesi da correria, depois de um passe mais acrobático e de uma defesa mais atrevida, o desastre aconteceu: o Azul e o Amarelo chocaram um com o outro, peito contra peito, num grande espalhafato.
E com a força do impacto, vá-se lá saber por que, o Azul e o Amarelo ficaram… Verdes!
Olharam um para o outro, acharam graça e disseram:
— Olha, agora somos Verdes!
Na cidade, que grande pandemônio! Todos quiseram ver o fenômeno, incrédulos primeiro e indignados depois: não só apareceram os Amarelos, assim de repente, como agora surgiam também uns Verdes… Já começava a ser de mais…
Um pouco zangadas e espantadas e também muito preocupadas, as mães Azul e Amarela apressaram-se a levar os seus filhos Verdes para dentro de casa.
— Oh! Que desgraça! Vamos chamar o Doutor para ver se há remédio que vos
cure a cor…
Mas, como não houve médico, cientista, engenheiro ou curandeiro que conseguisse tratar aquele mal, o tempo passou e todos acabaram por se habituar aos Verdes, percebendo assim que muito havia ainda para descobrir sobre os mistérios das cores do Mundo. E foi por isso que, um dia mais tarde, quando apareceu na cidade um…
Vermelho, ninguém estranhou!

 
Cores da Alma E-mail

Cores da Alma

Cores da AlmaNa sintonia das cores, somos o que somos. Cada cor, uma revelação.
As pessoas usam máscaras, mas suas cores denunciam seus interesses.
Cada consciência carrega em torno de si a atmosfera correspondente ao que vive em seu íntimo.

Em torno das pessoas tristes, há camadas de nuvens cinzentas acompanhando-as em seus passos no mundo.

Elas portam fuligem psíquica aderida em seus chacras. Não sabem disso, mas sentem-se infelizes em qualquer contexto. Há sombras psíquicas drenando-lhes as melhores possibilidades de crescimento. São vítimas de seu temperamento sem transformação. Por isso, seus corações choram perdidos, engolfados em emoções discordantes e conflitos internos de grande monta. Estão atolados no inferno de si mesmos, mas sempre buscarão soluções fora de suas próprias consciências e discernimento.

Em contrapartida, há aquelas consciências trabalhadoras, ligadas à sintonia superior.

Em suas auras, inúmeras cores dançam no compasso dos bons pensamentos e dos sentimentos generosos. As luzes espirituais as acompanham em todo o percurso, físico ou extrafísico. Por aonde vão, abrem novas fronteiras luminosas e deixam pegadas coloridas nos caminhos de muitos corações. Há anjos guiando-as! Elas não sabem integralmente da verdade, mas são canais espirituais das cores e muitas consciências inspiram seus pensamentos nas rotas do trabalho saudável. Elas são um receptáculo das cores, canalizando-as por aonde vão. Na verdade, as cores são suas irmãs.

No vermelho e no laranja, a vitalidade física e a estabilidade no mundo.
No amarelo, a limpeza das sombras e a saúde energética.
No verde, a simpatia e a cura estabilizando Céu e Terra no coração.
No azul celeste, a pura expansão da espiritualidade integrada na criatividade.
No índigo, um oceano de percepções sutis.
No violeta, a suprema integração com o divino em si mesmo, a aceitação da própria luz espiritual, pulsando em todos os seus corpos.
No rosa, um manancial de amor.
No dourado, o ouro jorrando pelos seus chacras e enriquecendo a todos.
Na consciência trabalhadora viaja um mundo de cores virtuosas